apsicologa.net.br
Transtorno Bipolar
 

Transtorno Bipolar

O Transtorno Bipolar ou Distúrbio Bipolar é uma forma de transtorno de humor, caracterizado pela oscilação extrema do humor entre uma fase manîaca, que são estágios diferentes dos sintomas, como hiperatividade física e mental, e uma fase de depressão, que os sintomas são de inibição, lentidão para conceber e realizar idéias, ansiedade e tristeza.


• Existem várias variações do distúrbio bipolar:


TIPO I: Predomínio da fase maníaca com depressão mais leve (distimia).
TIPO II: Predomínio da fase depressiva com mania mais leve (hipomania).
MISTA: Quando os episódios possuem várias características tanto de mania quanto de depressão simultaneamente.
CICLOS RÁPIDOS: Quando os episódios de variações humor duram menos de uma semana.
CICLOTIMIA: Os sintomas são persistentes por pelo menos dois anos, períodos em que sintomas de hipomania são leves e depressão ou distimia não são tão profundos.


O Transtorno Bipolar do humor é uma doença caracterizada por episódios repetidos, ou alternados, de mania e depressão.
Uma pessoa com transtorno bipolar está sujeita a episódios de extrema alegria, euforia e humor excessivamente elevado (mania), e também a episódios de humor muito baixo e desespero (depressão). Entre os episódios é comum que passe por períodos de normalidade.


Deve-se ter em conta que este distúrbio não consiste apenas de "altos e baixos".


Altos e baixos são experimentados por todas as pessoas e que não desenvolveram um distúrbio. As mudanças de humor do distúrbio bipolar são mais extremas e mais duradouras que aquelas experimentadas pelas demais pessoas.


A origem e duração dos episódios variam grandemente de uma pessoa para outra, tanto em intensidade quanto em duração. No caso grave, pode haver risco pessoal e material. A perturbação do humor é suficientemente severa causando prejuízo acentuado no funcionamento ocupacional, nas atividades sociais ou relacionamentos costumeiros com outras pessoas, ou até mesmo exigir a hospitalização do indivíduo, como um meio de evitar danos a si mesmo e a outros.


O indivíduo que sofre com esse transtorno tem três ou mais dos sintomas, que podem persistir por pelo menos uma semana:


• Auto-estima inflada ou sentimento de grandiosidade.
• Necessidade de sono diminuída (ex: sente-se repousado depois de apenas 3 ou 4 horas de sono).
• Mais eloquente do que o habitual ou pressão por falar.
• Fuga de idéias ou experiência subjetiva de que os pensamentos estão muito acelerados.
• Distratibilidade (a atenção é desviada com excessiva facilidade para estímulos externos irrelevantes).
•Aumento da atividade dirigida a objetivos (socialmente, no trabalho, na escola ou sexualmente) ou agitação psicomotora.
• Envolvimento excessivo em atividades prazerosas com um alto potencial para consequências dolorosas (ex: surtos incontidos de compras, indiscrições sexuais ou investimentos financeiros desnecessários).

 

Sistemas da Depressão

 

O indivíduo deprimido em geral se sente abatido, quieto e triste. Pode dormir muito, como uma fuga do convívio, reclamar de cansaço em tarefas simples como escovar os dentes, apresentar traços de baixa auto-estima e de sentimentos de inferioridade. Demonstra pouco interesse pelos acontecimentos e coisas e pode se isolar da família e amigos.


O indivíduo pode se sentir nesta fase, culpado por erros do passado e fracassos em sua vida e de seus familiares. Pode haver irritabilidade, lamentos e auto-recriminação.


Pode haver também um distúrbio do apetite, tanto para aumentá-lo, como para diminuí-lo. O deprimido pode apresentar queda na sua imunidade, o que o deixa mais predisposto a contrair doenças. Em alguns casos a depressão pode se manifestar de forma psicossomática, e o indivíduo pode apresentar algumas doenças de causa psicológica, que normalmente se caracterizam por dores pelo corpo ou cabeça.


Há uma queda da libido e o indivíduo se afasta de seu companheiro, se o possuir.


É comum nesta fase pensamentos suicidas, uma vez que o indivíduo se sente mal em sua vida e sem energia para mudá-la.

 

Sintomas da Euforia (Mania)


Na fase eufórica o indivíduo pode apresentar sentimentos de grandiosidade, poderes além dos que possui e grande entusiasmo. O indivíduo passa a dormir pouco, tornar-se agitado.


Pode falar muito, ter muitas idéias ao mesmo tempo, sentindo os pensamentos bem mais acelerados, formando linhas de raciocínio difíceis de serem compreendidas por outras pessoas.


Há uma alteração na libido e o indivíduo tem um aumento do desejo sexual.


O indivíduo perde a inibição social, podendo passar por situações vexatórias por falta de senso crítico.
Nesta fase é comum os indivíduos se endividarem ou perderem muito dinheiro, comprometendo até bens de família. Durante os delírios de grandeza os gastos são muito acima do que sua realidade permitiria. Devido ao grande otimismo, é possível que o indivíduo empreste dinheiro a pessoas a quem mal conhece e que podem estar se aproveitando da situação.


Tratamento


As mudanças de humor podem ser controladas por diversos medicamentos conhecidos como estabilizantes de humor. O tratamento com carbonato de lítio é o mais antigo e ainda em uso, e hoje há significativos progressos no estudo de tratamentos com novas medicações introduzidas na medicina nos últimos tempos. O lítio induz a uma série de efeitos adversos e, por isso mesmo, sua concentração no sangue precisa ser dosada periodicamente. O tratamento moderno de transtorno bipolar esta dando preferência a estabilizantes de humor como olanzapina, valproato, divalproato de sódio ou quetiapina. Quando existe abuso de álcool, cigarro e drogas ilícitas, os estabilizantes de humor também ajudam a controlar a dependência química e psicológica.


Com o uso de medicamentos adequados e a psicoterapia é perfeitamente possível ter vida plena.

 

 

Psicóloga Clínica Nathalie Beck | CRP: 06/105672

 
Telefones: (11) 2283-1888 / (11) 98873-3510 - E-Mail: nbeckpsicologa@gmail.com

Avenida Nova Cantareira, 3500 - Tucuruvi - São Paulo / SP

 
w/beck ppo